3 anos e muitas histórias para compartilhar

Por Keyty Medeiros

“E se ao invés de dividir pudéssemos multiplicar?”
é com esta questão que todos os colaboradores do bynd começam o dia e a razão é simples: multiplicar experiências e compartilhar custos está na essência do bynd há pelo menos 3 anos, quando a empresa nasceu.

Tanajura, o carro compartilhado durante a expedição 4×1 pela América Latina. Foto: Arquivo pessoal/Gustavo Gracitelli

Adeptos da carona desde os tempos da faculdade, em 2013 os amigos Gustavo Gracitelli e Leonardo Libório se aventuraram numa expedição que duraria 13 meses e passaria por 19 países da América Latina. Durante a aventura os amigos compartilharam carro, barraca, comida e roupas com outros colegas e aprenderam a valorizar o senso de compartilhamento e altruísmo.

O nascimento
Do retorno ao Brasil até a fundação do bynd, foi um pulo no tempo. Em 2015, o bynd assinava seu primeiro contrato e passava por processos de “gestação”, onde ganhou recursos e energias necessárias tornar a mobilidade em São Paulo mais agradável e eficiente por meio das caronas corporativas.

A especialidade nasceu da criatividade da dupla para lidar com as necessidades do mercado corporativo.  “A eficiência da mobilidade corporativa ainda é um tema pouco discutido pelas empresas no Brasil e a economia compartilhada não é mais uma tendência e sim uma realidade, pois as pessoas sofrem muito com o deslocamento diário”, afirma Gracitelli, atualmente CEO do bynd.

Ué, mas é de graça?
Outro desafio é engajar os colaboradores a pegar caronas solidárias entre si. Isso significa que as caronas são totalmente gratuitas para os usuários e o serviço é pago pela empresa onde os colaboradores trabalham. Mas afinal, por que alguém desviaria de seu caminho para oferecer ou pegar uma carona?

Fabiano Gambatti, analista de sistemas de uma seguradora cliente do bynd, explica: “eu vi um anúncio sobre a pontuação do bynd ser vinculada a pontuação da plataforma Multiplus e isso me chamou a atenção. Então fiz o cadastro, comecei a dar carona para o Jonatas e não parei mais”.

Além de ganhar um amigo, Fabiano mudou seus hábitos e pretende se aproveitar disso já nas próximas férias: “quero acumular os pontos das caronas com os pontos Multiplus que já tenho de outras atividades e trocar por passagens aéreas, vou viajar”, conta.

Carona de volta para casa com o bynd

Engatinhando para o futuro
Se esse sistema tem futuro? Gustavo acredita que sim e muito! Para os próximos anos, o bynd pretende continuar promovendo felicidade no deslocamento cotidiano e desenvolver o melhor produto para clientes e usuários. “Nossa intenção é a carona como um modal eficiente de transporte”, afirma.

Próxima parada: futuro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *